A proprietária negou-se durante anos a vender o edifício no centro daquela localidade, próxima da fronteira com a Alemanha.

O Estado austríaco queria a casa há anos para evitar que o local se torne num santuário para nazis.

Os dois partidos da coligação no Governo, o social-democrata SPO e o democrata cristão OVP, votaram a favor da expropriação, juntamente com os ecologistas e os liberais, da oposição.

Depois da expropriação, o Governo pretende lançar um concurso para reestruturar o edifício, para que a casa não seja reconhecida.

Hitler nasceu e viveu nos seus primeiros três anos de vida em Braunau am Inn, uma localidade situada junto à fronteira com a Alemanha.

A proprietária vai ser indemnizada pelo Estado.

A casa, que já foi uma escola, um banco, um instituto técnico e um centro para jovens com necessidade especiais, estava alugada ao Estado por 4.700 euros mensais, para evitar o seu uso de forma indesejada.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.