Vjosa Osmani, de 38 anos, obteve 72 votos entre os 82 deputados presentes no parlamento (mais do que o quórum necessário), de acordo com os resultados oficiais.

“Constato que a Assembleia da República do Kosovo elegeu Vjosa Osmani-Sadriu como Presidente da República”, declarou o presidente do parlamento, Glauk Konjufca.

A eleição de Vjosa Osmani, aliada do primeiro-ministro, Albin Kurti, do movimento reformista de esquerda Vetevendosje, aconteceu na última das três votações possíveis e com o boicote de grande parte da oposição.

A candidatura de Osmani, doutorada em Direito, fracassou nas primeiras rondas ao não obter o apoio de dois terços dos 120 deputados, pelo que só foi eleita na terceira votação, em que só necessitava de uma maioria simples.

Os deputados de todas as minorias, com exceção da sérvia, e do partido opositor Liga Democrática do Kosovo proporcionaram o quórum necessário para a votação, enquanto o resto da oposição boicotou a sessão.

A eleição da Presidente era um dos maiores desafios que o Governo, formado em 22 de março por Albin Kurti, tinha fixado para dar estabilidade política ao país, que se tornou independente em 2008 (sem o reconhecimento da Sérvia).

Juntamente com o primeiro-ministro, a Presidente eleita do Kosovo é uma das figuras mais populares do país.

Vjosa Osmani foi presidente do parlamento entre finais de 2019 e março de 2021.

Antes de hoje ser eleita Presidente pelos deputados, a jurista ocupava interinamente o cargo desde novembro de 2020, substituindo Hashim Thaçi, acusado pela justiça internacional de crimes de guerra cometidos entre 1998 e 2000.

Nas eleições legislativas de 2019, Vjosa Osmani foi candidata a primeira-ministra quando era militante da Liga Democrática do Kosovo, tendo sido expulsa do partido conservador depois de aliar-se a Albin Kurti.

Vjosa Osmani é particularmente popular entre os jovens (que engrossam as estatísticas do desemprego no Kosovo) e as mulheres, que veem na professora de Direito da Universidade de Pristina uma fonte de inspiração contra o patriarcado.

“As mulheres têm o direito de estar onde querem”, disse Osmani, depois de eleita, procurando conter as lágrimas.

Junto com Albin Kurt, a Presidente eleita do Kosovo faz parte de uma nova geração de políticos, após anos de “reinado” de ex-comandantes rebeldes da guerra de independência contra as forças sérvias (1998-1999).

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.