Esta reação de Carlos César consta de uma nota que publicou na rede social Facebook, cuja autoria confirmou à agência Lusa, depois de a PGR, em comunicado, ter referido que se registaram "até ao momento" 64 vítimas mortais nos incêndios de Pedrógão Grande, tendo divulgado a respetiva lista.

"Confirma-se, pois, a existência, até ao momento, de 64 vítimas mortais, cuja identidade se considera poder, agora, ser publicitada com segurança e sem perturbação da investigação", esclarece a PGR.

Na sequência deste comunicado da PGR, o presidente do PS e líder da bancada socialista observou que foram confirmados 64 mortos nos incêndios de Pedrogão Grande e que "os incêndios prosseguem".

"Mas, para o PSD, não era desgraça suficiente?! É inacreditável a imoralidade desses dirigentes políticos, para a qual tudo - sim, tudo - parece valer para esgrimir, alarmar e usar o sofrimento alheio. Que gente!", escreveu Carlos César.

Hoje, a meio da tarde, a secretária-geral adjunta do PS, Ana Catarina Mendes, acusou PSD e CDS de estarem a fazer um "intolerável" aproveitamento político-partidário "da tamanha tragédia" ocorrida no incêndio de Pedrógão Grande, considerando mesmo que os sociais-democratas atingiram "o grau zero" do sentido de Estado.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.