Os socorristas alertaram que o balanço pode aumentar rapidamente. Bombeiros continuavam a tirar corpos do prédio, envolto em fumo e chamas. De acordo com os bombeiros, seis pessoas morreram ao atirarem-se das janelas para escapar do fogo.

"Unidades de bombeiros estão a trabalhar no local, a Força Aérea e a Marinha de Bangladesh também se juntaram ao combate ao fogo", declarou Mohamad Russel, um funcionário da sala de controlo central dos bombeiros de Daca.

O prefeito de Daca, Asaduzzaman Mia, disse à imprensa que outras 73 pessoas ficaram feridas e estavam a ser atendidas em hospitais da cidade.

Muitas pessoas pediam ajuda ao gritar diante da multidão atónita numa rua do bairro comercial de Banani. Algumas conseguiram escorregar por um cabo de televisão junto ao prédio e outras usaram cordas oferecidas por helicópteros dos serviços de socorro.

No mês passado, 70 pessoas morreram noutro incêndio que destruiu vários prédios residenciais na parte velha de Daca, onde estavam a ser armazenados produtos químicos de forma ilegal.

De momento, as causas deste incêndio são desconhecidas. As imagens de redes sociais mostram chamas e fumo preto provenientes da fachada do edifício. Helicópteros lançavam água sobre a torre, enquanto funcionários trancados pediam ajuda, de acordo com as imagens transmitidas pela televisão. Mais de cem ambulâncias estão perto do prédio incendiado.

Shoikot Rahman, que trabalha ali, ouviu vários dos seus colegas de trabalho alertarem antes do fumo tomar conta do prédio. "Quando eu soube que havia um incêndio no edifício, saí rápido", contou à AFP. "Muitos dos meus colegas ainda estão bloqueados nos escritórios", acrescentou.

Os bombeiros usaram escadas para partir janelas e tentar criar formas de escapar. Mais de uma hora depois de começar o incêndio, ainda era possível ver pessoas nos 13º e no 14º andares a pedir desesperadamente ajuda, por entre nuvens de fumo.

Segundo as autoridades, entre as vítimas que morreram ao saltar do prédio, estava um homem do Sri Lanka cujo corpo foi transportado para o hospital militar Kurmitola. Dilkhosh Ahmed, da clínica Banani, disse que outra das vítimas tentou usar o cabo de televisão para deslizar, mas escorregou e caiu.

"As equipas entraram no prédio e estão à procura de possíveis vítimas. O prédio não tem material anti-incêndios", disse à imprensa o tenente-coronel Julfikar Rahman, do serviço de bombeiros de Daca.

Incêndios e desabamentos de construção são comuns no Bangladesh, um país pobre do sudeste asiático com 160 milhões de pessoas, e onde muitas vezes as normas de segurança são desrespeitadas.

[Notícia atualizada às 20:03]

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.