A explosão ocorreu durante uma missa católica no ginásio da Universidade Estatal de Mindanau (MSU, na sigla em inglês), em Marawi, a maior cidade muçulmana do país, disse o chefe da polícia regional Allan Nobleza.

“Estamos a investigar se foi um engenho explosivo caseiro ou uma granada”, disse Nobleza.

A MSU condenou em comunicado o “ato de violência”, suspendeu as aulas e destacou mais segurança para o campus universitário.

“Somos solidários com a nossa comunidade cristã e com todas as pessoas afetadas por esta tragédia”, declarou a universidade na nota.

Fotografias publicadas na página da rede social Facebook do governo provincial de Lanao del Sur mostram o governador Mamintal Adiong a visitar as “vítimas feridas no ataque bombista” num centro médico.

O ataque ocorreu três dias depois de o exército filipino ter matado 11 militantes islamitas da organização Dawlah Islamiya em Mindanau.

O exército afirmou no sábado que a organização estava a planear ataques noutra província do país.

Allan Nobleza referiu que a polícia está a investigar se o ataque de hoje está ligado a essa operação militar.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.