Em comunicado, o STAD denuncia a prática de "assédio moral e sexual" sobre as funcionárias pelas chefias da empresa EUROMEX, que presta serviço de limpeza no aeroporto.

"A chefia, verbalmente, trata muito mal os trabalhadores e trabalhadoras, intimidando-os, amedrontando-os e, inclusive, reprimindo-os", lê-se na nota que acrescenta "jamais a chefia atuaria desta forma se não tivesse uma orientação ou, no mínimo, a total proteção e/ou conivência da EUROMEX".

E continua: "esta empresa preza por incutir uma atitude de prepotência e arrogância às suas chefias dos locais de trabalho levando à prática de assédio moral".

Informando que algumas das funcionárias já "fizeram queixa à empresa", o STAD acrescenta que a "EUROMEX assobiou para o lado!".

"Neste local de trabalho - no Aeroporto Francisco Sá Carneiro - a chefia ultrapassa todos os limites pois além do assédio moral são feitas abordagens às trabalhadoras de cariz sexual e de violência psicológica", fazendo com que "haja quem tenha medo de ir trabalhar", acrescenta a nota.

Em declarações à Lusa, o coordenador regional do Porto do STAD, Eduardo Teixeira, afirmou que a paralisação "vai abranger os 80 funcionários que diariamente trabalham no aeroporto".

Devido à greve, que vai durar entre a meia-noite de quinta-feira e a meia-noite de sexta-feira, "deixará de haver serviço de limpeza em todo o edifício do aeroporto, desde os escritórios até às casas de banho públicas", disse o sindicalista.

Os grevistas concentram-se às 09:30 perto do aeroporto de onde sairão, mais tarde, a pé rumo às instalações da EUROMEX, em Perafita.

A Lusa tentou obter uma reação da ANA – Aeroportos de Portugal, mas tal não foi possível até ao momento.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.