Fonte da PGR adiantou à agência Lusa que “se confirma a instauração” de um inquérito.

Os dois tripulantes do avião ligeiro, que esta tarde colheu mortalmente duas pessoas na praia de São João, durante uma aterragem de emergência, ficaram com termo de identidade e residência e serão ouvidos na quinta-feira pelo Ministério Público, disse anteriormente o capitão do Porto de Lisboa, Paulo Isabel.

As vítimas mortais são uma menina de oito anos e um homem de 56 anos.

De acordo com o capitão do Porto de Lisboa, uma procuradora do Ministério Público vai na quinta-feira ouvir os dois tripulantes, que já estiveram a ser interrogados pela Polícia Marítima.

Segundo o mesmo responsável, correm dois processos em paralelo: um de natureza judicial, no âmbito do Ministério Público, e outro de natureza técnica, levado a cabo pelo Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves e de Acidentes Ferroviários.

O Cessna 152, que realizava um voo de treino, descolou de Cascais com destino a Évora, tendo reportado à torre de controlo do Aeródromo Municipal de Cascais, cerca de cinco minutos após a descolagem, uma falha no motor, tendo o piloto dito que "iria aterrar na praia".

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.