Em declarações aos jornalistas, Fernando Pinto afirmou hoje que a ligação aérea entre Lisboa e o Porto "era um mercado que nunca tinha sido encarado com este nível de necessidade", que era "fundamental".

“Descobrimos que o maior crescimento, o maior número de passageiro, é a ligação Lisboa-Porto. Portugal não tinha uma ligação eficiente entre Lisboa e Porto. E, agora, os aviões estão com um nível de ocupação perto dos 80% e têm horários absolutamente lotados", declarou o presidente da TAP, quando questionado sobre a designada ponte aérea, lançada a 27 de março.

A ponte aérea é operada pela TAP Express - a nova designação da Portugalia (PGA) -, e tem 18 ligações diárias em cada sentido.

Em novembro, o ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, afirmou no parlamento que o número de passageiros na ligação Lisboa-Porto aumentou 86% com a ponte aérea da TAP, rejeitando que tenha tirado passageiros ao aeroporto do Porto.

"Gostava de destacar que tivemos um crescimento muito importante com a ponte aérea. A utilização desta rota cresceu 86%, de 200 mil para 373 mil passageiros", disse, na altura, o ministro Pedro Marques, em resposta ao deputado socialista João Paulo Correia.

Pedro Marques realçou que "três quartos dos bilhetes não foram vendidos no Porto, mas em Lisboa e em Faro. Ao contrário do receio de que a ponte aérea fosse para trazer passageiros para ligações internacionais a partir de Lisboa, a ponte aérea tem sido efetiva a deslocar passageiros a partir de Lisboa para o Porto".

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.