É uma polémica com algum tempo, em vários países, concretamente aqueles que em tempos tiveram colónias. Essas exigem a devolução de bens que dizem ser seus e agora alguns líderes de Estado admitem fazê-lo.

No caso de Portugal ainda não há nada em curso, mas o jornal Expresso revela que o Ministro da Cultura português, Pedro Adão e Silva, já está a planear um inventário sobre os bens em causa.

"São obras de arte, bens culturais, objetos de culto e até restos mortais ou ossadas retiradas das suas comunidades originais", lê-se na publicação.

Um dos grandes impulsionadores da devolução deste património a ex-colónias foi o presidente francês Emmanuel Macron, que em 2018 pediu um relatório sobre as pretensões de alguns países africanos. Esse estudo abriu assim precedentes para que outros países fizessem o mesmo. Agora é a vez de Portugal.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.