“Se você perguntar: ‘Quem é que a administração apoia?’ Parece que é Geraldo Alckmin, não é? A base política do governo (Temer), incluindo o seu partido, está com ele”, disse o Presidente brasileiro em entrevista ao jornal Folha de São Paulo.

O MDB aprovou o nome do antigo ministro das Finanças Henrique Meirelles como candidato, mas Temer disse que não irá fazer campanha por nenhum candidato mas preferiu elogiar o candidato do maior partido da oposição, à direita do governo.

Uma eventual vitória de Alckmin nas eleições de outubro significa, para Temer, a continuação da atual administração, com outra liderança.

“Isso pode ser verdade. Primeiro, por aquilo que eu o ouvi dizer. Segundo, porque aqueles que nos ajudaram a fazer reformas estarão no Gabinete se ele vencer”, afirmou.

Muitos dos partidos que apoiam Temer no Congresso aderiram à candidatura de Alckmin para a eleição.

Uma pesquisa da Datafolha, em junho, revelou que 82% dos brasileiros acreditavam que o seu Presidente estava a fazer um mau trabalho, o número mais alto desde que o instituto começou a fazer a pergunta em 1989.

“Vou ser cauteloso em não fazer campanha por nenhum dos dois (Alckmin ou Meirelles)”, acrescentou Temer, que assumiu o cargo em 2016, depois do ‘impeachment’ de Dilma Rousseff.

Até ao momento, ambos os candidatos também estão muito atrás nas sondagens. Na liderança vai o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que, provavelmente, será impedido de concorrer.

Também na quinta-feira, outro proeminente candidato presidencial entrou com um pedido para o principal tribunal eleitoral do Brasil para proibir a candidatura de Lula.

Jair Bolsonaro, que está em segundo nas intenções de voto, tomou essa decisão depois de o Partido dos Trabalhadores ter registado o ex-presidente brasileiro como candidato às eleições, na quarta-feira.

A procuradora-geral do Brasil, Raquel Dogde, fez o mesmo pedido, horas depois do registo oficial de Lula da Silva no Tribunal.

Começou hoje o período de campanha para todos os 13 candidatos presidenciais.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.