Os dados constam de um estudo conjunto da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO) e do governo da Etiópia e foram divulgados numa altura em que se prevê a chegada àquela região de África de novos enxames de gafanhotos com um potencial ainda mais devastador, segundo os especialistas.

De acordo com a FAO, um “aumento massivo” do número de gafanhotos na região representaria “uma ameaça sem precedentes para a segurança alimentar e os meios de subsistência das populações” à medida que se aproxima a época das colheitas.

Surgidos após a chuvas abundantes dos últimos meses, milhares de gafanhotos invadiram a região oriental de África, causando danos significativos na Etiópia, Somália, Quénia, Djibuti, Eritreia, Tanzânia, Sudão, Sudão do Sul e Uganda.

Na Etiópia, estes insetos devastaram as plantações de sorgo, milho e trigo e limitaram em muito as áreas de pastagem disponíveis, informou a FAO.

De acordo com a mesma organização, 75% dos etíopes precisam agora de ajuda alimentar de emergência sobretudo nas regiões de Somali (leste) e Oromia (centro e sul).

Segundo a representante da FAO na Etiópia, Fatouma Seid, os esforços para conter a catástrofe, incluindo o envio de alimentos ou dinheiro para os agricultores e pastores, estão agora também a ser complicados pelas medidas de luta contra a pandemia de covid-19.

“Enquanto nos esforçamos por controlar os gafanhotos, é vital proteger os meios de subsistência das populações afetadas, especialmente agora que a situação está a ser exacerbada pela crise da covid-19″, afirmou.

A Etiópia registou oficialmente 74 casos de infeções pelo coronavírus, mas o país realizou ainda muito poucos testes e os especialistas receiam que o sistema de saúde não tenha capacidade de resposta se houver um afluxo de pessoas doentes.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.