A fonte não adiantou a data precisa da deslocação de João Lourenço a Moscovo, limitando-se a indicar que a visita decorrerá em abril e que a Presidência angolana irá, em breve, divulgá-la.

Entretanto, num comunicado do Ministério das Relações Exteriores (MIREX) de Angola, é indicado que o chefe da diplomacia angolana, Manuel Augusto, seguiu hoje para Moscovo com o intuito de preparar a visita de João Lourenço.

No documento é salientado que as relações “privilegiadas” entre Angola e Rússia conheceram o seu “ponto alto” em 1976, altura em que Moscovo (então capital da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas Socialistas – URSS – entretanto extinta) e Luanda assinaram o Tratado de Amizade e Cooperação.

“De 1976 até aos dias que correm, as relações entre os dois países passaram por diferentes etapas de cooperação, sendo atualmente mais significativas nos setores da Energia, Geologia e Minas, Ensino Superior, Formação de Quadros, Defesa, Interior, Telecomunicações e Tecnologias de Informação, Pescas, Transportes, Finanças e Banca”, lê-se no comunicado.

O MIREX estima que cerca de 1.000 cidadãos russos residem em Angola, dando conta de pelo menos 1.500 angolanos a viver na Rússia.

No comunicado é recordado que, a 05 de março de 2018, esteve em Luanda o ministro dos Negócios Estrangeiros da Federação Russa, Serguei Lavrov, altura em que “foram reforçados os laços de amizade e cooperação”.

Já este mês, o MIREX angolano esteve em Moscovo, depois de participar numa reunião sobre direitos humanos em Genebra, após o que se seguiu uma passagem pelo Dubai.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.