“O tiroteio de hoje (sábado) em El Paso, Texas, não só foi trágico como foi um ato de cobardia. Partilho com todos neste país a condenação deste odioso ato”, reagiu Donald Trump, após o primeiro balanço oficial, na rede social Twitter.

O tiroteio num supermercado Walmart, no sul de El Paso, cidade fronteiriça com o México, deixou no sábado pelo menos 20 mortos e 26 feridos, segundo o governador Greg Abbott, que lamentou um dos “dias mais mortíferos da história do Texas”.

“Não há razões ou desculpas que alguma vez justifiquem a morte de pessoas inocentes”, acrescentou o Presidente norte-americano.

O chefe da polícia de El Paso, Greg Allen, afirmou, em conferência de imprensa, que as autoridades encontraram um manifesto que indica que este poderá ser um “crime de ódio”.

O Presidente do México também já manifestou pesar pelo ataque e confirmou a existência de três mexicanos entre os 20 mortos.

“Soube que três mexicanos perderam a vida neste tiroteio. O Ministério dos Negócios Estrangeiros já está a tratar do assunto”, declarou López Obrador, num vídeo transmitido nas redes sociais.

O Governo mexicano informou ainda que, dos 26 feridos, seis são mexicanos e estão hospitalizados.

Por cá, o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, enviou uma mensagem ao seu homólogo norte-americano, Donald Trump, na qual lamenta o “violento tiroteio” ocorrido em El Paso.

Os tiroteios e ataques armados ocorrem com muita frequência nos Estados Unidos.

Na terça-feira, duas pessoas foram mortas e um polícia ferido num supermercado da cadeia Walmart no Mississippi.

No domingo, três pessoas, incluindo um rapaz de 6 anos, foram mortas quando um atirador de 19 anos abriu fogo durante um festival de gastronomia de Gilroy na Califórnia, a sul de San Francisco.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.