“A construção da dita linha circular, merece fortes reservas de natureza técnica e operacional e prejudica quem se desloca na linha Amarela entre o centro e a coroa exterior da cidade, Lumiar e Santa Clara, mas também quem se desloca de e para fora de Lisboa, nomeadamente Odivelas”, defendeu o PSD de Lisboa num comunicado hoje divulgado.

Na nota, o PSD afirmou também que o projeto “pode, ainda, comprometer em definitivo a expansão da rede de Metro à zona ocidental da cidade, em especial a Campo de Ourique, Alcântara, Ajuda e Belém, bem como futuras interligações às redes de transportes que servem Oeiras e Cascais”.

Além disso, o PSD de Lisboa lembrou que o projeto de expansão do Metropolitano de Lisboa teve como base o previsto no Plano de Expansão da Rede do Metropolitano de Lisboa 2010-2020, aprovado em 2009 pelo Governo de José Sócrates, e frisou que “este plano não foi sujeito a consulta pública e não são conhecidos quaisquer documentos técnicos que o fundamentem”.

“Acresce que não são conhecidos quaisquer estudos de análise custo-benefício que comparem esta opção e outras alternativas de expansão da rede na cidade de Lisboa”, lê-se no comunicado.

Recordando que decorre até quarta-feira a consulta pública sobre a Avaliação de Impacte Ambiental (AIA) relativa ao plano de expansão da linha do Metro de Lisboa, o PSD de Lisboa defendeu que, “quando o plano e o projeto de expansão não foram eles próprios sujeitos a consulta pública, realizar esta consulta pública trata-se de uma óbvia encenação para a opinião pública, que visa apenas e só legitimar uma decisão política, técnica e economicamente mal fundamentada”.

O PSD de Lisboa exige ao Governo a “imediata suspensão do plano de expansão do Metro de Lisboa”, a “apresentação de estudo técnico e económico que permita avaliar e comparar diferentes opções de expansão da rede” e “sujeitar a consulta pública o próprio plano de expansão”.

O projeto de prolongamento do Metropolitano de Lisboa, entre as estações do Rato (Linha Amarela) e do Cais do Sodré (Linha Verde), inclui novas ligações aos viadutos do Campo Grande.

O objetivo é obter uma linha circular a partir do Campo Grande com as linhas Verde e Amarela, passando as restantes linhas a funcionar como radiais - linha Amarela de Odivelas a Telheiras, linha Azul (Reboleira - Santa Apolónia) e linha Vermelha (S. Sebastião - Aeroporto).

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.