Montenegro disse à Lusa estar a trabalhar no seu escritório, no Porto, no Mercado do Bom Sucesso, que fica “a meia dúzia de minutos a pé” do hotel na Avenida da Boavista.

Contudo, até agora, esse convite não chegou, segundo o antigo deputado.

O Conselho Nacional do PSD reúne-se hoje à tarde para debater e votar uma moção de confiança política à direção, apresentada pelo presidente do partido, Rui Rio, depois de Luís Montenegro ter desafiado o líder a convocar diretas.

Rio rejeitou o repto de antecipar as eleições – completou no domingo metade do seu mandato, um ano – mas pediu ao órgão máximo do partido entre Congressos que renovasse a confiança na sua Comissão Política Nacional.

A presença de Luís Montenegro tem sido defendida pelos seus apoiantes e o vice-presidente da mesa do Conselho Nacional Almeida Henriques apresentou há dois dias um pedido nesse sentido.

Do lado da direção do PSD, o entendimento é que teria de ser sido Luís Montenegro a requerer essa presença e salienta-se que o antigo líder parlamentar até se distanciou da reunião deste órgão, uma vez que pediu a clarificação por diretas.

Montenegro rejeitou o argumento, pedindo: “Deixemo-nos de formalismos”.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.