Em comunicado, a PSP explica que, das 40 detenções, três foram em cumprimento de mandados de detenção emitidos por autoridade judiciária, um por posse de arma ilegal, dois por tráfico de droga e seis por outros crimes contra o património (dois por furto de catalisadores, com recuperação de bens furtados no valor global de 1.000 euros).

Outros 33 cidadãos foram identificados por serem suspeitos da prática de crimes contra o património (21) e tráfico de droga (12).

Além de cidadãos nacionais, acrescenta a PSP, foram também fiscalizados cidadãos de 25 países diferentes (dos vários continentes), dos quais quatro extracomunitários em situação irregular em território nacional.

A operação europeia TRIVIUM XIV decorreu entre 13 e 16 de abril e a PSP participou na sua área de responsabilidade de Portugal Continental e na totalidade do território das Regiões Autónomas da Madeira e dos Açores.

Na nota, a PSP explica ainda que integrou o centro de coordenação da operação (virtual) e que a TRIVIUM XIV visou pessoas e grupos organizados que praticam crimes contra o património e que “tendem a apresentar grande mobilidade geográfica”.

No total, segundo a Europol, a operação envolveu 17 países e culminou na detenção de 228 pessoas.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.