"Quando convidados a indicar os seus principais interesses, a população jovem portuguesa diferenciou-os de acordo com três grandes grupos: planeamento do seu percurso de vida, orientação para o coletivo e para a responsabilidade social e orientação para o bem-estar e saúde pessoal", segundo um estudo da MoviJovem/Movy realizado pela Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto.

Segundo os dados apresentados, "os principais interesses e preocupações das/dos jovens têm a ver com o planeamento do seu percurso de vida, marcadamente associados a necessidades básicas ou direitos fundamentais".

"De facto, 8 em cada 10 jovens indica pelo menos uma das seguintes áreas: o 'acesso ao emprego' e o 'acesso a serviços de saúde', que são assinalados por cerca de metade das/os jovens, e os interesses associados à 'constituição de família', à 'habitação', à 'estabilidade no emprego' ou ao 'empreendedorismo'", é explicado.

É ainda referido que "a maioria das/os jovens (cerca de 6 em cada 10) revela interesses cujo enfoque é o seu o desenvolvimento e bem-estar pessoal. Neste domínio, há três áreas que se destacam, sendo apontadas por cerca de 2 em cada 10 jovens: a 'prática de desporto e atividade física', a 'saúde mental e bem-estar psicológico' e a 'arte e cultura'. Este domínio de interesses inclui ainda as 'viagens internacionais' e a 'saúde física'".

Por sua vez, "também a maioria de jovens assinala um conjunto de interesses que permitem qualificar os seus percursos de vida". Neste sentido, "cerca de 6 em cada 10 assinalam interesses que denotam a sua preocupação ou orientação para o coletivo e para a responsabilidade social, nos quais de destaca a defesa dos 'direitos humanos e da inclusão social'. Mas são também assinalados por, pelo menos 2 em cada 10 jovens, interesses e preocupações para com a 'não-violência', a 'não discriminação' e o 'bem-estar e direitos animais'. Este domínio de interesses inclui ainda a 'preservação e sustentabilidade ambienta'", é apontado no estudo.

No que diz respeito ao futuro, nomeadamente daqui a cinco anos, o estudo conclui que "as/os jovens são capazes de se projetar de forma distinta no futuro, verificando-se que a 'importância' da generalidade das áreas muda, considerando as/os jovens que serão menos 'relevantes' para si no futuro".

Todavia," existem 3 grandes exceções: a população-jovem considera que 'constituir a sua família', o acesso à 'habitação' e à 'estabilidade no emprego' serão interesses mais importantes para si no futuro".

O estudo vai dar a conhecer, em breve, mais dimensões deste retrato dos jovens: Cultura, Desporto, Participação cívica, Educação, Empreendedorismo, Emprego, Mobilidade, Identidade, Habitação, Saúde, Lazer e tempos livres.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.