"A garraiada não será organizada pela associação académica nem fará parte do programa oficial", afirmou hoje à agência Lusa a presidente da Associação Académica da Universidade de Évora (AAUE), Ana Rita Silva.

A opção foi tomada pela AAUE depois de os estudantes da Universidade de Évora (UÉ) terem decidido, na terça-feira, em referendo, acabar com a garraiada académica no programa oficial da Queima das Fitas.

Segundo a presidente da AAUE, dos 1.086 estudantes que participaram no referendo, 667 votaram pelo fim da garraiada e 405 a favor da sua continuidade, registando-se 12 votos em branco e dois nulos.

A dirigente estudantil realçou que este evento tauromáquico teve a sua primeira edição na década de 80 e que, desde então, "tem sido realizado todos os anos, com mais ou menos divulgação".

Apesar do resultado do referendo, um movimento de alunos e o Núcleo de Estudantes de Agronomia já garantiram que vão organizar uma garraiada, estando marcada para sábado, às 16:30, no Parque do Centro de Desenvolvimento Agropecuário de Évora (antigo IROMA).

Organizada pela AAUE, com o apoio de várias entidades, a festa dos estudantes vai decorrer, ao longo de nove dias, no campo de futebol do Colégio do Espírito Santo, o principal edifício da academia alentejana.

Richie Campbell (sexta-feira), Calema (sábado), Los Chupitos (domingo), Quim Barreiros (segunda-feira), Noite de Tunas (terça-feira), Mishlawi (quarta-feira), Putzgrilla (quinta-feira), Matias Damásio e Blaya (dia 01 de junho) e Carolina Deslandes e António Zambujo (dia 03) são os cabeças-de-cartaz.

A presidente da AAUE referiu que uma das principais novidades da edição deste ano é a realização da Noite de Tunas na terça-feira nos claustros do Colégio do Espírito Santo, estando o recinto fechado nesse dia para "dar algum descanso aos moradores da zona".

Além disso, adiantou, haverá este ano uma redução do horário abrangido pelas licenças especiais de ruído, apesar de o recinto poder funcionar até mais tarde, para causar menos incómodos, fruto de um acordo com a câmara municipal.

A Queima das Fitas terá este ano três palcos, revelou Ana Rita Silva, realçando que pelo palco principal vão passar os cabeças-de-cartaz, o secundário será destinado a vários tipos de música e a artistas da cidade e um terceiro terá concursos e animação.

O cortejo académico, um dos pontos altos da festa dos estudantes, está marcado para domingo e vai percorrer as principais artérias da cidade, numa organização da AAUE com o Conselho de Notáveis da academia.

A queima desportiva, com atividades desportivas e jogos, e a queima dos pequenitos, que juntava alunos de um colégio da cidade e que se realiza no final de junho, voltam a constar no programa da festa dos estudantes.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.