Em setembro, Portugal tem o Avante!; em junho, o Reino Unido terá o Labour Live 2018, a primeira edição do festival de verão promovido pelo partido trabalhistas britânico, que acontecerá no dia 16 de junho em White Hart Lane, estádio do Tottenham Hotspur.

Com a certeza de que na capital britânica não entoará a “A Internacional”, alguns nomes do cartaz já foram anunciados tendo, a nível musical, sido confirmadas as atuações de Rae Morris, dos Magic Numbers e de Jermain Jackman; e a nível político a presença de Jeremy Corbyn, líder do partido, juntamente com Johan McDonnell e Kate Osamor, membros do partido que assumem importantes posições no ‘governo sombra’ trabalhista que faz oposição a Theresa May.

À semelhança do que acontece noutros eventos políticos deste caráter, o Labour Live terá workshops e discursos políticos e um cartaz mais cultural ligado à literatura.

Em 2017 ficou célebre a presença de Corbyn no festival Glastonbury, onde, no palco principal, o líder trabalhista fez um discurso sobre unidade e criatividade, perante uma plateia que exibia várias bandeiras, de vários países, numa altura em que o tema da eleição de Donald Trump e o plano para a construção de um muro na fronteira com o México estavam na agenda mediática.

E se a esquerda britânica se tem dado bem nestes cenários, já o partido Conservador não pode dizer o mesmo. Depois do discurso de Corbyn no Glastonbury, o ano passado, o deputado George Freeman juntou apenas de 25 mil libras (cerca de 28 mil euros) para fundar o Big Ideas Festival. O festival decorreu em Berkshire e contou com a presença de cerca de 200 pessoas.

Os bilhetes para o Labour Live 2018 serão colocados à venda a 20 de março e até lá esperam-se mais confirmações para o cartaz.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.