O primeiro-ministro David Cameron condenou esta segunda-feira os episódios. "Temos de ser absolutamente claros que este governo não vai tolerar a intolerância", afirmou a porta-voz de Cameron, que condenou "os incidentes que vimos em todo o país durante o fim de semana, nos quais os imigrantes foram intimidados e ouviram que deviam voltar para casa".

A embaixada da Polónia mostrou preocupação com dois episódios de racismo contra cidadãos polacos, ao mesmo tempo que o "Mayor" de Londres, Sadiq Khan, pediu à polícia que permaneça atenta.

"Estamos chocados e profundamente preocupados com os recentes episódios de insultos xenofobos contra a comunidade polaca e outros residentes no Reino Unido de origem imigrante", afirma a embaixada em comunicado. "A embaixada polaca está em contacto com as instituições relevantes e a polícia local já está a investigar os dois casos mais comentados, em Hammersmith, Londres, e em Huntingdon, em Cambridgeshire", completa a nota oficial.

A porta do Centro Cultural Polaco de Londres, fundado em 1964 no bairro de Hammersmith, foi alvo de graffitis ofensivos. Parte dos eleitores pró-Brexit afirmam que há muitos imigrantes no país. A comunidade polaca no Reino Unido é a mais numerosa dos países da UE, com 654.000 membros, de acordo com o censo de 2011.

"Esta manhã surpreendeu-nos e entristeceu-nos muito encontrar um graffiti realmente desagradável na fachada do nosso edifício", afirmou no domingo a presidente do centro cultural, Joanna Mludzinska. Ao mesmo tempo, ela declarou-se "muito comovida e agradecida" com as demonstrações de apoio, incluindo a do deputado, o conservador Greg Hands.

Hands escreveu nas redes sociais que os polacos "são muito bem-vindos no Reino Unido" e recordou o papel dos pilotos polacos na batalha aérea de Inglaterra, na Segunda Guerra Mundial.

O outro incidente investigado pela polícia, segundo a embaixada, diz respeito aos folhetos espalhados por Huntingdon, sul da Inglaterra, uma área com muitos imigrantes da Polónia, com pedidos para que regressem ao seu país depois do referendo e com mensagens em que chamam os imigrantes de "praga".

Polícia em alerta

"Levo muito a sério a minha responsabilidade de defender a fantástica mescla de diversidade e tolerância de Londres", afirmou o "Mayor" Sadiq Khan. "É realmente importante que permaneçamos em alerta perante qualquer aumento de crimes de ódio e insultos", completou.

"Pedi à polícia que reforce a vigilância", disse o "Mayor", ao mesmo tempo que fez um apelo para "não diabolizar os 1,5 milhões de londrinos que votaram a favor do Brexit".

"Apesar de eu e milhões de pessoas discordarmos da decisão, as pessoas decidiram assim por uma variedade de motivos e isso não deve ser usado para os acusar de xenófobia ou racismo", concluiu Khan.

As redes sociais registaram nos últimos dias uma agressiva troca de insultos entre pessoas a favor e contra o o Brexit.

Sayeeda Warsi, conservadora, denunciou que recebeu diversas informações de incidentes. "Passei grande parte do fim de semana a conversar com organizações, ativistas e indivíduos que cujo trabalho tem alguma relação com crimes de ódio", disse ao canal Sky News. "Eles citaram alguns casos realmente perturbadores de pessoas que são paradas nas ruas e ouvem, 'olhe, nós votámos sair, está na hora de ir embora'".

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.