Um atirador entrou numa sala de espera de um hospital em Ostrava atirou sobre quem se encontrava no local, provocando, pelo menos, seis vítimas mortais. Três horas depois, em plena perseguição policial, o suspeito do ataque cometeu suicídio ao desferir um tiro na cabeça.

A polícia encontrava-se à procura de um Renault Laguna prateado e, segundo a agência Reuters, três horas depois de ter iniciado a caça ao homem, um suspeito disparou na própria cabeça junto a um carro que correspondia a essa descrição.

"A polícia encontrou o carro, houve um tiroteio no local. Estamos a estabelecer a identidade do homem que disparou na própria cabeça antes da polícia agir", informou a polícia checa através da sua conta de Twitter.

Segundo a agência Reuters, a informação deste incidente foi inicialmente avançada por Jan Hamáček, ministro do Interior da República Checa, em declarações às televisões nacionais.

A Reuters, assim como a emissora alemã Deutsche Welle (DW), avançaram inicialmente com um balanço de quatro pessoas mortas e duas gravemente feridas, citando a polícia checa.

No entanto, o diretor do hospital, Jiri Havrlant, informou numa conferência de imprensa que seis pessoas morreram, uma delas enquanto estava a ser operada aos ferimentos, e que outras duas se encontram gravemente feridas

O ataque ocorreu pelas 7:00 (6:00 em Lisboa) e ainda não se conhecem as suas motivações. Alguns relatos dão conta de que o tiroteio ocorreu numa sala de espera no centro de traumatologia do hospital. A polícia foi chamada ao local às 7:19 (hora local, 6:19 em Lisboa), chegando ao hospital cinco minutos depois. Um helicóptero foi usado para procurar o culpado.

As autoridades publicaram inicialmente um retrato de alguém que julgavam ser o suspeito, mas depois confirmaram que se tratava de uma testemunha.

O presidente da República Checa, Milos Zeman, já expressou condolências aos sobreviventes dos ataques, tendo agradecido aos agentes e ao pessoal médico que ajudou no rescaldo do atentado. Já o primeiro ministro, Andrej Babis, está neste momento a deslocar-se para hospital.

Ostrava é uma cidade que se encontra a 190 quilómetros a este da capital do país, Praga, junto à fronteira com a Polónia.

Este é o pior tiroteio a ocorrer na República Checa desde 2015, quando um homem matou oito pessoas num restaurante localizado na cidade de Uhersky Brod.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.