Rick Genest devia a sua alcunha, “Zombie Boy”, às inúmeras tatuagens de ossos e insetos que tinha por todo o seu corpo, sendo mais notórias aquelas que envergava na cabeça e lhe conferiam o aspeto de um crânio exposto.

O canadiano foi encontrado na sua casa no bairro de Plateau-Mont-Royal, em Montreal. Morreu a seis dias de completar 33 anos de vida.

Linhas de ajuda e apoio ao suicídio em Portugal

Caso tenha pensamentos suicidas ou conheça alguém que revela sinais de alarme, fale com o médico assistente. Se sentir que os impulsos estão fora de controlo, ligue 112.

Outros contactos:

SOS Voz Amiga
Lisboa (diariamente, das 16 às 24h)
21 354 45 45
91 280 26 69
96 352 46 60

(linha verde gratuita entre as 21h e as 24h)
800 209 899

SOS Estudante
808 200 204
96 955 45 45

SOS Telefone Amigo
Coimbra (diariamente, das 17h às 01h)
239 72 10 10

Escutar - Voz de Apoio
Porto
22 550 60 70

Telefone da Amizade
Porto (das 16h às 23h)
22 832 35 35

Departamento de Psiquiatria de Braga
253 676 055

Brochura do INEM
Ler aqui.

Para além de colaborar com Lady Gaga, o modelo também trabalhou para o estilista francês Thierry Mugler e chegou a ser a ser uma das figuras da Rocawear, a marca de roupa do rapper Jay-Z. A sua figura inimitável pôde ser vista na Vogue Japão e na GQ Style do Reino Unido e Genest tinha também projetos musicais em paralelo à sua carreira na moda.

Lady Gaga reagiu no próprio dia, a 3 de agosto, à morte de Genest, na sua conta de Twitter, partilhando tweets agora apagados. Não tendo sido, na altura, oficializada a causa de morte do modelo, as autoridades canadianas estavam a tratá-la como um suicídio e, por essa razão, a cantora escreveu que “o suicídio do meu amigo Rick Genest, Zombie Boy é para lá de devastador”.

Contudo, segundo o The Guardian, novas informações quanto às circunstâncias da morte de Genest foram reveladas, suspeitando-se que o modelo terá caído da varanda de sua casa. Por esta razão, a empresa que geria a carreira de Genest, Dulcedo Management, considera que a morte pode ter sido acidental, salientando que "a causa da sua morte ainda não foi determinada, ao contrário de alguns relatos".

Estes dados levaram Lady Gaga a apagar os seus tweets quanto ao suicídio e a publicar uma retração do que tinha dito, lamentando ter "falado cedo demais pois não houve testemunhas ou provas para suportar qualquer conclusão quanto à sua causa de morte", tendo também dado as suas "profundas condolências" à família e amigos do modelo.

Noutro tweet, acrescentou que "a arte que fizemos era sagrada para mim e eu estava emocional, ele era um artista incrível e a sua arte e o seu coração viverão para sempre. Descansa em paz, alma bonita".

Num primeiro momento, a cantora tinha partilhado fotografias com o modelo aquando à gravação do vídeo de “Born This Way”. A sua escolha não foi uma coincidência, já que a música se trata de auto-aceitação e da celebração da diferença. Conhecida pelo seu trabalho de ativismo social e promoção dos direitos LGBT+, tanto na sua música como através da sua fundação, Born This Way Foundation, a artista tinha escrito que “temos de trabalhar mais para mudar a cultura, trazer a Saúde Mental para um primeiro plano e apagar o estigma de que não podemos falar sobre isso”.

Com o propósito de incentivar os seus seguidores a procurar uma solução caso estejam a lidar com doenças mentais, Gaga, cujo nome verdadeiro é Stefani Germanotta, escreveu ainda que “se estás a sofrer, liga a um amigo ou à tua família hoje. Temos de nos salvar uns aos outros”.


Artigo atualizado às 12h03 de 8 de agosto com os novos dados quanto à possível causa de morte de Rick Genest e os novos tweets de Lady Gaga.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.