A Guardia Civil, em comunicado enviado à agência Lusa, explicou que as detenções aconteceram na “madrugada do passado sábado”, na estrada A-5, na zona de San Pedro de Mérida, na província de Badajoz, na comunidade da Extremadura.

Fonte do Comando de Badajoz da Guardia Civil, contactada hoje pela Lusa, adiantou que os cinco suspeitos são “quatro homens e uma mulher, entre os 27 e os 35 anos”.

“Têm domicílio em Alcalá de Henares”, na comunidade autónoma de Madrid, e são cidadãos “de nacionalidade estrangeira” residentes em Espanha, disse também a fonte, acrescentando que as cinco pessoas “seguiam em duas viaturas automóveis, de matrícula espanhola”.

Segundo o comunicado da Guardia Civil, estes quatro homens e a mulher foram detidos pela sua alegada “implicação no roubo perpetrado num supermercado em Sacavém”, no concelho de Loures, no distrito de Lisboa.

Na madrugada de sábado, agentes da Guardia Civil, pertencentes à Unidad de Seguridad Cuidadana (USECIC e ao serviço cinotécnico do Comando de Badajoz, realizaram uma ação de controlo do trânsito na A-5, no âmbito da qual intercetaram “dois veículos provenientes de Portugal, ocupados por cinco pessoas”.

Durante o processo de identificação dos ocupantes, os agentes constataram na base de dados que duas das pessoas já possuíam “antecedentes por roubo”, pelo que, “suspeitando que pudessem transportar” algum artigo de “proveniência duvidosa, inspecionaram os veículos”.

Após a inspeção, a Guardia Civil apreendeu um total de 76.017 euros, mil dólares americanos e 455 libras esterlinas.

“Todo” este montante estava “fracionado em numerosas moedas e notas de diferente valor” e os suspeitos “não puderam provar a sua proveniência legal”, acrescentou.

O dinheiro estava escondido em diferentes lugares das viaturas, “em assentos, debaixo de tampas dos porta-bagagens”, onde habitualmente se coloca o pneu de substituição, e “nas zonas laterais” das bagageiras, “assim como numa mala e entre as roupas” dos suspeitos, indicou a Guardia Civil.

Além do dinheiro, constam ainda da apreensão de joias, gorros tipo passa montanhas, luvas anticorte, roupas de cor preta e um dispositivo inibidor de frequências.

A Guardia Civil desenvolveu diligências para averiguar a origem do dinheiro e contactou o Centro de Cooperação Policial e Aduaneira do Caia (Elvas), que, após contactar diversas forças policiais portuguesas, averiguou que, “na passada sexta-feira”, tinha sido “perpetrado um roubo num supermercado em Sacavém”.

As provas obtidas pelos agentes da Guardia Civil coincidem com “os artigos roubados e com outros detalhes concretos do roubo”, pode ler-se no comunicado.

A fonte da Guardia Civil contactada pela Lusa disse que os suspeitos já foram presentes ao tribunal de instrução de Mérida e saíram em liberdade, mas não tinha informação sobre se foi aplicada qualquer medida de coação.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.