"Eu já respondi a isso uma data de vezes. O dr. José Silvano já respondeu e disse tudo o que tinha a dizer. A minha opinião é a mesma que o dr. José Silvano disse. Ele pediu há três semanas justamente isso: se há dúvida a Procuradoria-Geral da República que abra um inquérito, foi o que fez", afirmou Rui Rio aos jornalistas, em Castelo Branco.

O secretário-geral do PSD manifestou-se satisfeito com a decisão hoje anunciada pelo Ministério Público de abrir um inquérito ao caso das falsas presenças registadas em seu nome no parlamento, recordando que tinha pedido esta intervenção, e pediu uma decisão célere.

"No que diz respeito ao registo de presenças no plenário, independentemente do que ainda possa haver a investigar neste caso concreto, só posso achar bem, uma vez que fui eu próprio, na única conferência que dei sobre esta matéria, que o pedi", afirmou o deputado José Silvano, numa declaração à Lusa.

O líder social-democrata recusou-se a tecer mais comentários sobre o assunto e quando questionado sobre os dois novos casos idênticos que alegadamente envolvem os deputados do PSD José Matos Rosa e Duarte Marques, limitou-se a dizer que à data nem sequer era presidente do PSD, nem deputado.

"Não é um assunto diretamente comigo", afirmou Rui Rio.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.