“No seguimento de certas medidas tomadas pela NATO, deixaram de existir as condições básicas para trabalhar em conjunto”, declarou o ministro dos Negócios Estrangeiros russos, Sergei Lavrov, precisando que estas medidas entrarão em vigor, em princípio, a partir de 01 de novembro.

No passado dia 06 de outubro, a NATO avançou que tinha retirado as credenciais a oito elementos da missão da Rússia junto da Aliança Atlântica, justificando que as pessoas em questão trabalhavam “de forma não declarada” como operacionais dos serviços de informações russos.

“Podemos confirmar que retirámos as credenciais a oito membros da missão russa junto da NATO, que eram operacionais não declarados dos serviços de informações russos”, afirmou então uma fonte oficial da organização.

Nesse mesmo dia, a Aliança Atlântica também reduziu para 10 o número de credenciais para representantes que podiam ser solicitadas por Moscovo, o que representou uma diminuição da equipa da missão russa destacada na sede da NATO, localizada em Bruxelas (Bélgica).

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.