Mais de um mês a navegar à vela, após ter saído de Portugal no dia 05 de janeiro para uma viagem de circum-navegação, o navio-escola “Sagres” atracou no Brasil, “num ciclo que se completa”, segundo o ministro da Defesa Nacional de Portugal, João Gomes Cravinho.

“Há uma agenda muito rica entre Portugal e o Brasil, e digamos que a cereja no topo do bolo foi poder ser anfitrião do ministro da Defesa do Brasil [Fernando Azevedo e Silva], num almoço aqui, no navio ‘Sagres’, que é um navio que em tempos pertenceu à Marinha do Brasil. Nessa altura tinha o nome de Guanabara, que é esta magnífica baía em que estamos hoje e, portanto, há aqui todo um ciclo que se completa”, disse aos jornalistas João Gomes Cravinho.

O ministro português almoçou a bordo da embarcação portuguesa, na companhia do seu homólogo brasileiro, após ter dado uma palestra na Escola Superior de Guerra e de ter participado numa reunião bilateral. Desta reunião saíram propostas como uma reunião, em julho, das indústrias de defesa dos dois países, e um encontro entre os ministros da Defesa e dos Negócios Estrangeiros, devido, segundo ao governante, ao “ambiente estratégico internacional”.

Ao Brasil, a bordo do navio-escola, chegaram 142 elementos de guarnição, bem como 50 instruendos da Aporvela — Associação Portuguesa do Treino de Vela e dois investigadores do projeto SAIL (Space-Atmosphere-Ocean Interactions in the marine boundary Layer), que visa “estudar a interação entre o espaço e o planeta Terra”. A viagem integra as celebrações do quinto centenário da viagem de circum-navegação de Fernão de Magalhães.

Entre os tripulantes do navio encontra-se Joaquim Mendes, 43 anos, encarregado da copa de sargentos, seguindo as pisadas do pai que, entre 1978 e 1979, também fez uma volta a bordo da mesma embarcação.

“Eu destaquei-me agora para a ‘Sagres’, mas a primeira pessoa a passar aqui neste navio foi o meu pai, que fez a primeira volta ao mundo desta embarcação em 1978 e 1979, e agora aqui estou eu. (…) Era um desejo que eu tinha, o de fazer uma volta ao mundo porque marinheiro que é marinheiro tem de viajar na ‘Sagres’. (…) É muito agradável fazer esta viagem”, garantiu à agência Lusa o português.

Mendes, como é tratado no navio, recorda as histórias que o seu pai contava, mas, sobretudo, o “espírito de camaradagem” e os “momentos únicos” passado a bordo daquele que é conhecido como “embaixador itinerante” de Portugal.

Nos próximos cinco dias em que a embarcação estará atracada no Rio de Janeiro, o comandante do navio-escola “Sagres”, Manuel Maurício Camilo espera a visita de “milhares” de pessoas, garantindo que a cidade brasileira é um ponto de paragem especial.

“[É] uma sensação excelente, porque tem a ver com o início de uma longa viagem e digamos que terminamos aqui o prólogo dessa viagem, com os primeiros 37 dias de missão, e num dos portos, provavelmente, mais importantes de toda a dita missão. O próprio conjunto de eventos e de interações que vamos ter com as autoridades locais e com os portugueses aqui residentes assim o diz”, afirmou à Lusa o comandante.

A viagem de circum-navegação vai prolongar-se durante 371 dias, sendo que a próxima paragem é Montevidéu, capital do Uruguai.

O navio-escola “Sagres” vai passar por mais de 20 portos de 19 países diferentes.

Em 30 de dezembro, a embarcação da Marinha chega a Portugal, mais precisamente, a Ponta Delgada, nos Açores, estando o regresso a Lisboa agendado para 10 de janeiro de 2021.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.