Em comunicado, o SEF indicou que os imigrantes não têm contrato laboral com o empregador, desconhecendo os mecanismos legais em vigor que lhes permitiriam solicitar a regularização documental em Portugal.

Os trabalhadores foram notificados para abandonar o país no prazo de 20 dias ou regularizar a sua situação documental.

De acordo com o SEF, o empregador direto, bem como o proprietário da plantação agrícola de abacates instalada em São Bartolomeu de Messines, no concelho de Silves, distrito de Faro, incorrem numa coima entre os 4.000 e os 15.000 euros.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.