O primeiro direto

O primeiro jogo de futebol transmitido pela rádio foi a 22 de janeiro de 1927, pela BBC, em Inglaterra, e colocou frente a frente o Arsenal contra o Sheffield United.

Depois de ter sido adiado durante algum tempo, porque os responsáveis pelos campeonatos acreditavam que as transmissões dos jogos pela rádio iam fazer com que as pessoas deixassem de ir aos estádios, o inevitável chegou e a rádio invadiu o desporto rei.

A transmissão foi um sucesso, em grande parte graças aos comentadores: Henry Teddy Wakelam, conhecido ex-jogador de râguebi, que fez o relato, e C. A. Lewis, que era o responsável por dizer em que parte do campo estava a decorrer a jogada.

O jogo terminou empatado a um golo, sendo que o primeiro golo do mundo a ser transmitido em direto pela rádio foi o do Arsenal, marcado por Charlie Buchan.

A ficção cientifica de Orson Welles

Orson Welles
30 de outubro de 1938 entrou para a história da rádio quando a estação norte-americana CBS, Columbia Broadcasting System, passou na sua programação o que parecia ser uma notícia de última hora e na verdade era uma peça de radionovela. Orson Welles, no seu 17º programa semanal de adaptações radiofónicas, levou para o ar o romance “A Guerra dos Mundos” de  H.G. Wells. Durante pouco mais de uma hora muitos locais dos EUA acreditaram que o mundo estaria a ser invadido por extraterrestres, gerando algum pânico.

Welles adaptou a obra para que soasse como os noticiários da época, e foi isso que fez com que muitos acreditassem. Segundo a CBS, cerca de seis milhões de pessoas ouviram o programa, sendo que metade não ouviu a introdução do mesmo, não percebendo portanto que se tratava de uma radionovela. Estima-se que pelo menos 1,2 milhões de pessoas acreditaram que se tratava de um fato real.

O rei gago contra os nazis

George VI
Às 11 horas do dia 3 setembro de 1939, o Reino Unido declarava guerra à Alemanha nazi, entrando assim para a II Guerra Mundial. O discurso do rei George VI foi transmitido via rádio para todo o reino.

George VI era gago e este discurso era demasiado importante, por isso, o seu treinador de voz, Lionel Logue, esteve presente o tempo todo e o rei fez o discurso como se estivesse a fazê-lo para Logue.  

Segundo alguns registos, Logue esteve presente em todos os discursos que George VI fez na rádio. Em 2010 chegou aos cinemas um filme sobre esse episódio, “O Discurso do Rei”, que venceu quatro Óscares da Academia, incluindo o de melhor filme.


A rendição do império

Imperador Hirohito
Em 2015, a Agência da Casa Imperial do Japão publicou o discurso que o Imperador Hirohito, o 124º imperador do Japão, fez no final da II Guerra Mundial, a 15 de agosto de 1945.

Naquela que foi a sua primeira transmissão de rádio, o imperador anunciou que o país aceitara o acordo proposto pelos aliados e com isso marcava o fim da guerra. O discurso, com cerca de 4 minutos, foi gravado a 14 de agosto no palácio imperial e transmitido ao meio-dia do dia 15.

Muitos temiam que nesse discurso o imperador fosse pedir aos japoneses sacrifícios pela pátria, o que poderia significar suicídios em massa. No entanto, não foi isso que sucedeu. O imperador anunciou que aceitava o acordo proposto pelos aliados, sem nunca usar a palavra rendição ou derrota, e pediu para todos “tolerarem o intolerável”.

O último discurso

Salvador Allende
A 11 de setembro de 1973, Salvador Allende Gossens, então presidente do Chile, proferiu o seu último discurso, transmitido pela Rádio Magallanes.

O discurso foi feito enquanto decorria um golpe de estado comandado pelo general Pinochet. Allende afirmou nessa intervenção que não iria renunciar ao cargo de presidente, assumindo que “iria pagar com a sua vida a lealdade do povo”.

Depois do discurso do presidente, a Rádio Magallanes passou a música “El pueblo unido jamás será vencido”, de Sergio Ortega. A canção não chegou a terminar, porque a emissão foi interrompida. Salvador Allende morreu nesse mesmo dia.

A revolução dos cravos

O convite para fazer uma intervenção no edifício partiu da escola.
O golpe militar de 25 de abril de 1974 mudou Portugal. Caía o Estado Novo e era implementada a democracia. A rádio teve um papel muito importante para que a revolta resultasse. Na noite de 24 de abril, por volta das 22h55m, os Emissores Associados de Lisboa tocaram a música “Depois do Adeus”, de Paulo de Carvalho, emitida pelo radialista João Paulo Diniz, e este foi o primeiro sinal para que a primeira fase do golpe de estado avançasse.

Passados 20 minutos da meia-noite, o jornalista Leite de Vasconcelos, da Rádio Renascença, pôs no ar “Grândola, Vila Morena”, de Zeca Afonso, e estava assim dado o segundo sinal para o arranque das operações. Esta música de Zeca Afonso tinha sido proibida pelo Estado Novo, que considerava que ela falava do comunismo.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.