A proposta, que é considerada um dos três pontos fundamentais do pacote de ajustes fiscais proposto pelo Presidente do Brasil, Michel Temer, ao lado da reforma das reformas e de mudanças nas regras laborais, será votada hoje pela segunda vez no Senado (câmara alta do parlamento).

Segundo o Datafolha, 60 por cento dos brasileiros são contra a aprovação da emenda, 24% da população aprova, 4% estão indiferentes e outros 19% afirmaram não saber como responder.

De acordo com 62% dos brasileiros entrevistados, a emenda trará mais prejuízos do que benefícios, contra 19% que pensam o contrário.

Questionados se os recursos públicos existentes no Brasil são suficientes 53%, dos entrevistados acham que sim, porém, são mal aplicados, enquanto 36% responderam que os recursos não insuficientes e mal utilizados pelo Governo.

A oposição à emenda que congela os gastos públicos é maior entre os mais jovens - de 16 a 24 anos, 65% são contra, ao passo que 47% dos maiores de 60 não querem que seja aprovada.

Na sondagem verificou-se que as maiores rejeições ao projeto estão entre os menores escalões de rendimento, 60% para quem recebe até dois salários mínimos e 62% para quem ganha entre dois e cinco salários mínimos.

Já entre a parcela da população que recebe acima de cinco salários mínimos, existe uma aprovação maior, de 35%.

O Datafolha entrevistou 2.828 pessoas em 7 e 8 de dezembro.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.