Na zona costeira de Fukushima entrou em vigor uma ordem de evacuação. Pede-se às pessoas que se dirijam para locais altos ou zonas sinalizadas. Já foi possível observar uma onda de 60 centímetros a atingir a costa de Iwaki. A televisão pública japonesa adianta que há também registo de ondas com 1,40 metros, 90 cm, 80 cm, 60 cm, 50 cm e 40 cm, em diversas zonas da costa.

Um sismo de magnitude 7.3 na escala de Ritcher, com epicentro no mar, atingiu o Japão, esta segunda-feira, dia 21 - já manhã de terça-feira, dia 22, em terras nipónicas.

A CNN cita a Agência de Metereologia do Japão fala em ondas de "um a três metros". O centro geológico norte-americano, US Geological Survey, entretanto, reviu a magnitude do terramoto para uma magnitude de 6,9. O abalo aconteceu a poucos quilómetros da costa leste da Ilha de Honshu, a principal do Japão, segundo o serviço meteorológico local. O epicentro, localizado a 37 km da cidade de Namie, tem uma profundidade de 11,4 km.

A Reuters informa ainda que as autoridades fizeram um alerta de tsunami para a zona de Fukushima.

Os operadores das centrais nucleares do país indicaram que ainda não foi registada nenhuma anomalia e que as centrais estão paradas.

Não há, até ao momento, relato de informações relativas a danos ou vítimas, tendo apenas sido registado um incêndio numa refinaria, avança a estação NHK.

Uma unidade de crise foi aberta pelo Governo para dar informações e instruções para ajudar as pessoas.

Em 2011, no Japão, um sismo de magnitude de 9.1 na escala de Ritcher provocou um tsunami que resultou num dos maiores desastres nucleares da história.

Veja como é que os sismos acontecem:

Artigo atualizado à 1:00

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.