José Pereira, de 73 anos, seguia com a sua mulher e o seu neto, na carruagem número seis, de Lisboa até Campanhã, no Porto, para depois prosseguir caminho até à sua casa, em Vila do Conde.

Assim que o comboio Alfa Pendular começou a descarrilar após colidir com uma máquina de trabalhos, em Soure, José Pereira sentiu “um choque” forte e apenas teve o instinto de agarrar o seu neto.

“Pareceu que o comboio ia a travar, andou-se ali uns minutos largos, com todas as pessoas em pânico”, contou aos jornalistas o passageiro, sublinhando que, ao início, aquando do embate, só viu “as malas a cair e os ferros a rebentar”.

A carruagem, acrescentou, “ficou toda rebentada no interior”.

Apesar do pânico inicial com o descarrilamento, o passageiro sublinhou que todas as pessoas na sua carruagem conseguiram manter a calma até chegarem os bombeiros.

“A calma de todo o pessoal a ajudar uns aos outros foi fundamental”, salientou.

Na sua carruagem, enquanto os bombeiros não vinham e sem possibilidade de abrir as portas, alguns passageiros decidiram partir vidros “para poder entrar ar" e pegaram "nas malas, nas calmas”, disse José, que saiu praticamente ileso, apenas com umas escoriações na perna e no braço.

A sua mulher teve “um problema no tórax - mas nada de grave” e o neto “um problema na pernita, mas também nada de grave”, contou José Pereira, que falava junto ao posto de comando, instalado às portas da vila de Soure, no distrito de Coimbra.

“Já apanhei alguns sustos, mas como este não”, disse José Pereira, que acabou a entrevista a ser chamado por uma enfermeira, com a sua mala, para ver as pequenas feridas que tinha.

O descarrilamento de um comboio Alfa Pendular, no concelho de Soure, fez hoje dois mortos (ambos trabalhadores da Infraestruturas de Portugal), seis feridos graves e 19 feridos ligeiros.

O comboio seguia no sentido sul-norte e o descarrilamento ocorreu após o embate entre o Alfa Pendular e uma máquina de trabalho, tendo o alerta sido dado às 15:30, segundo a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC).

O Alfa Pendular tinha saído de Santa Apolónia, em Lisboa, às 14:00, e tinha como destino final Braga.

O Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves e de Acidentes Ferroviários (GPIAAF) anunciou, entretanto, que vai investigar as causas do acidente.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.