De acordo com os números divulgados pelo executivo suíço, durante a próxima década a medida pode abranger cerca de 2.300 jovens todos os anos.

Entretanto, vários partidos políticos, nomeadamente a União Democrática do Centro, têm-se mostrado contrários à proposta, considerando que há um “excesso de população estrangeira” e que esta iniciativa permite o “aumento exponencial do número de muçulmanos”.

A proposta do Governo visa permitir que as autoridades federais possam conceder a nacionalidade suíça aos emigrantes de terceira geração, encurtando o processo e tornando-o mais barato.

De acordo com as autoridades, há cerca de 25 mil imigrantes que poderiam beneficiar imediatamente destas condições para simplificar o processo de naturalização, principalmente provenientes da Itália, Turquia e dos países do sudeste da Europa.

Outra das votações que vão ser realizadas no domingo tem a ver com os impostos sobre os lucros das empresas; o Governo propõe que as empresas possam deduzir os lucros provenientes de receitas com patentes e atividades de Investigação e Desenvolvimento.

O Executivo argumenta que o novo regime é necessário para permitir que a Suíça, que foi obrigada pela pressão internacional a abrandar o favorecimento das empresas, se mantenha atrativa para a classe empresarial.

A média do equivalente suíço do IRC está ligeiramente abaixo dos 20%, o que contrasta com os 40% nos Estados Unidos e os 0% no Dubai, de acordo com um estudo da KPMG, com dados do ano passado.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.