Apesar do registo de vários sismos nos últimos meses em diferentes pontos do chamado Círculo de Fogo do Pacífico, eles não estão necessariamente ligados entre si, destacam especialistas. Mas é necessário ter em consideração os recentes terramotos ocorridos no Japão, um país que regista 20% dos sismos mais violentos do mundo, para tentar avaliar a probabilidade de que aconteça um mega terremoto ao longo da costa sul do arquipélago (Nankai) e até Tóquio.

Veja neste vídeo os efeitos do sismo no Equador:

Uma catástrofe deste tipo poderia provocar um enorme tsunami e matar até 320.000 pessoas no Japão, destruir 2,4 milhões de casas e deslocar 9,5 milhões de habitantes, segundo avaliações do governo japonês. As autoridades nipónicas avaliam a probabilidade de um mega-terramoto algures entre os 60 e 70% nos próximos 30 anos (20% na próxima década).

Os dois terramotos de quinta-feira à noite e das primeiras horas de sábado na ilha japonesa de Kyushu, seguidos de centenas de sismos secundários, deixaram 42 mortos e mais de 1.000 feridos, 208 deles em estado grave, segundo o balanço mais recente. O terramoto de 7,8 graus que abalou o Equador no sábado à noite deixou 272 mortos, mais de 2.000 feridos e um rasto de destruição na costa do país. 

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.