Tratou-se de "um fenómeno rápido de vento forte e chuva intensa, talvez um minitornado", que começou por volta das 10:50 e passou "por cerca de 20 artérias da zona sul/sudeste da cidade", provocando sobretudo quedas de árvores, algumas em cima de veículos, explicou o comandante dos Bombeiros Voluntários de Beja, Pedro Barahona.

Segundo o comandante, não há registo de vítimas, mas de queda de "mais de 100 árvores" e de danos em "cerca de 30 a 40 viaturas" e em infraestruturas, como telhados e antenas.

O fenómeno começou na entrada da cidade de Beja junto ao Regimento de Infantaria n.º 3 e passou por várias zonas, como o estacionamento do Parque de Feiras e Exposições e os bairros de Mira Serra, do Pelame e das Saibreiras, disse o comandante.

Pedro Barahona contou que o fenómeno também provocou danos na Escola dos 2.º e 3.º ciclos do Ensino Básico de Mário Beirão, situada junto ao parque de feiras e exposições, sobretudo no telhado e em janelas, o que levou à suspensão das aulas "por precaução" durante o dia de hoje.

Segundo fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Beja, a resposta às várias ocorrências registadas envolvem operacionais e meios de várias corporações de bombeiros, como as de Beja, Cuba, Ferreira do Alentejo e Serpa, da PSP e da GNR.

(Notícia atualizada às 13h50)

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.