“Uma das várias hipóteses que estamos a considerar é pagarmos 10% do que temos estado a pagar durante muitos anos, colocando-nos ao nível da contribuição, muito mais baixa, da China”, escreveu Trump no Twitter, citado pela agência EFE.

“Ainda não tomámos uma decisão final. Todos os fundos estão congelados”, acrescentou.

Os Estados Unidos cancelaram a sua contribuição para a OMS depois de Trump criticar a forma como a organização geriu a pandemia de covid-19 e acusá-la de ceder às pressões da China.

Até agora o maior contribuinte para a OMS, os Estados Unidos davam anualmente 400 a 500 milhões de dólares à organização, entre contribuições obrigatórias e voluntárias.

Os Estados Unidos são nesta altura o país mais afetado pela pandemia, com 87.493 mortes e mais de 1,4 milhões de casos de infeção, segundo números de sexta-feira.

O estado de Nova Iorque é o grande foco de coronavírus no país, com 345.813 casos confirmados e 27.841 mortes, números equivalentes aos de França e de Espanha, abaixo apenas do Reino Unido e de Itália.

Surgido em dezembro na China, o SARS-CoV-2 já infetou 4.549.100 pessoas em todo o mundo, pelo menos 307.321 das quais morreram, segundo um balanço de hoje da agência AFP.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.