“Não considero isto uma quebra na relação de confiança. A certa altura, isso pode acontecer. Mas nesta fase, não”, declarou o chefe de Estado norte-americano, em entrevista ao Politico.

“Eram mísseis de curto alcance, algo muito normal”, minimizou.

Pyongyang lançou dois mísseis de curto alcance na quinta-feira, depois de exercícios semelhantes no sábado passado, o que constitui mais um sinal de que este país estará a retomar o seu programa de armas nucleares.

Segundo o exército da Coreia do Sul, os mísseis do país vizinho terão voado 420 quilómetros, um, e 270 quilómetros, outro. Seul alertou de imediato que os testes poderiam dificultar as negociações com os EUA, enquanto o Japão descreveu as manobras como “lamentáveis”.

Por seu lado, Pyongyang descreveu o lançamento de mísseis como um exercício “regular e defensivo” e assegurou que tais manobras não agravaram as tensões na região.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.