O departamento de Justiça e o de Educação enviaram uma carta às escolas públicas para as notificar que o Governo tinha decidido suspender a anterior diretiva devido à confusão criada ao nível local por diversos litígios em tribunais do país.

Na missiva, os dois departamentos dizem considerar que “deve ter-se em conta o papel dos estados e dos distritos escolares no estabelecimento de uma política educativa”.

Nesse sentido, o procurador-geral, Jeff Sessions, argumentou, em comunicado, que o acesso dos estudantes transexuais às casas de banho e vestiários que coincidam com a sua identidade de género é um assunto sobre o qual os distritos escolares e os governos locais devem decidir, e não o governo federal.

Na sua carta às escolas, o departamento de Justiça e o de Educação sublinharam que o sistema educativo deve assegurar que todos os alunos, incluindo os que pertencem à comunidade Lésbica, Gay, Bissexual e Transexual (LGBT), podem “aprender e prosperar num ambiente seguro”.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.