Mevlut Cavusoglu fez estas declarações aos jornalistas antes da visita do ministro da Defesa da Finlândia, Antti Kaikkonen, que discutirá a candidatura do seu país à Aliança Atlântica com seu homólogo turco, Hulusi Akar, na quinta-feira.

“A visita do ministro da Defesa finlandês à Turquia é importante porque ainda não ouvimos uma declaração da Finlândia a dizer que suspenderam o embargo de armas contra nós”, afirmou Cavusoglu.

“Esperamos que tal declaração seja feita”, acrescentou.

A Suécia e a Finlândia abandonaram as suas políticas de longa data de não-alinhamento militar e solicitaram adesão à NATO depois de as forças russas invadirem a Ucrânia em fevereiro, com preocupações de que a Rússia pudesse atacar os dois países em seguida.

Mas a Turquia, membro da NATO, tem colocado obstáculos às propostas da Suécia e da Finlândia para ingressar na Aliança, acusando os dois países nórdicos de ignorar as ameaças à Turquia dos militantes curdos e outros grupos que considera terroristas, pressionando-os a reprimir esses grupos.

Ancara também tem pressionado os dois países para suspender a proibição, de facto, da venda de armas para a Turquia.

A Suécia anunciou em setembro que estava a remover um embargo de armas que havia imposto a Ancara em 2019, após a operação militar da Turquia contra uma milícia curda na Síria.

Os Parlamentos da Turquia e da Hungria ainda não ratificaram os seus pedidos de ingresso na NATO.

Os outros 28 Estados membros da Aliança Atlântica já o fizeram.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.