“Esta conta foi permanentemente suspensa por violação das nossas regras”, confirmou um porta-voz do Twitter à agência France Presse.

A conta @KhameneiSite publicou esta semana um vídeo animado simulando uma vingança contra Donald Trump, que há dois anos ordenou um ataque que matou o general Qassem Soleimani, então chefe da Força Qods, os Guardas da Revolução, responsável pelas operações externas do exército iraniano.

Esta não é a principal conta em inglês do ayatollah, que ainda está ativa, mas uma conta multimédia que "retransmite" as suas atividades.

No ano passado, uma outra conta foi suspensa pelo Twitter devido a um vídeo semelhante.

A proteção das pessoas e do conteúdo das conversas na rede social é uma prioridade máxima para a empresa, que exclui os comportamentos abusivos nas suas normas de utilização.

Arquiteto da estratégia de influência regional do Irão, Soleimani foi morto a 3 de janeiro de 2020, em Bagdade, por um ataque levado a cabo por um drone norte-americano - uma operação ordenada por Donald Trump.

O líder supremo iraniano tem prometido repetidamente vingar a sua morte.

No passado dia 3 de janeiro, no segundo aniversário do ataque, o Presidente iraniano, Ebrahim Raissi, também ameaçou os antigos líderes dos Estados Unidos, incluindo Donald Trump, de “vingança”.

Os assessores do ex-presidente norte-americano denunciam com regularidade a suspensão permanente imposta pelo Twitter ao milionário republicano há um ano, observando em particular que vários líderes considerados pelos Estados Unidos como autocratas, incluindo Ali Khamenei, são autorizados a transmitir as suas mensagens através da rede social.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.