A morte do importante empresário dos cereais da Ucrânia, Oleksiy Vadatursky, e da sua mulher num ataque russo está a causar consternação e a levantar a suspeita de que o homicídio foi intencional e pode significar um novo bloqueio portuário.

Oleksiy e Raisa Vadatursky morreram a 31 de julho, na sequência de um ataque a Mykolaiv, no sul da Ucrânia, que o chefe de Estado ucraniano, Volodymyr Zelensky, considerou “dos mais brutais” desde o início da invasão russa, com mais de 40 mísseis lançados contra vários alvos da cidade.

Vários destes mísseis atingiram o quarto da grande casa do magnata, enquanto, segundo o assessor presidencial, Mijaílo Podolyak, nenhuma outra habitação da área foi atingida.

Já a presidente do conselho regional de Mykolaiv, Hanna Zamaziieva, referiu em entrevista ao canal 24 TV que a morte do empresário pode estar ligada à crise alimentar que a Rússia está tentando fomentar em escala global.

O empresário, cuja empresa possui 81 navios, esteve ativamente envolvido nos esforços para aumentar as exportações de cereais através de rotas alternativas e a sua frota está envolvida no transporte de cereais pelos portos do Danúbio.

Oleksiy Vadatursky, de 74 anos, era o dono da Nibulon, uma das maiores holdings agrícolas da Ucrânia, responsável pela exportação de 5,64 milhões de toneladas de cereais para 38 países em 2021.

Vadatursky era considerado em 2021 o 24.º mais rico da Ucrânia, com a sua fortuna avaliada em 430 milhões de dólares, segundo a edição ucraniana da Forbes.

No entanto, ao contrário de muitos outros magnatas do país, evitou envolver-se na política e ganhou a reputação de um empresário incorruptível que enfatizava a transparência da sua corporação e colaborava com empresas e instituições internacionais de renome, como o Banco Europeu para a Reconstrução e Desenvolvimento (BERD).

Desde o início da invasão russa da Ucrânia, o empresário permaneceu em Mykolaiv para continuar a administrar a sua empresa, algumas destas danificadas pela guerra, ajudando ainda a financiar as unidades locais de defesa territorial do Exército ucraniano.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.