“As numerosas violações do cessar-fogo constatadas pela missão da OSCE são contrárias aos compromissos alcançados nas recentes reuniões do formato de Normandia”, pode ler-se num comunicado do Ministério dos Negócios Estrangeiros de França.

Os observadores internacionais da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) informaram na sexta-feira que as violações do cessar-fogo na região oriental ucraniana de Donbas registaram um “aumento significativo”, com mais de 800 violações só na sexta-feira, mais do triplo da média do último mês.

Le Drian alertou Lavrov, por telefone, para as “consequências para a Rússia de qualquer nova afronta à integridade territorial da Ucrânia” e, segundo o comunicado, expressou a certeza “sobre a resposta unida dos europeus e dos seus aliados a tal afronta”, com “sanções maciças”.

“A presidência francesa do Conselho da União Europeia assumirá todas as suas responsabilidades”, afirmou.

O chefe da diplomacia francesa sublinhou, no entanto, que ainda há espaço para o diálogo e garantiu que o seu país está disposto a trabalhar nesse sentido.

“Mas cabe à Rússia apostar por esse diálogo se tiver uma vontade sincera. Hoje os seus atos e as suas palavras não estão em sintonia”, conclui o comunicado.

A conversa entre Le Drian e Lavrov ocorre à margem da Conferência de Segurança de Munique, onde pela primeira vez em muito tempo não há um representante russo.

Lavrov participou no encontro nos últimos 12 anos, incluindo durante a crise da Crimeia em 2014.

Alguns observadores consideram que a ausência russa significa que o Kremlin abandonou os esforços para encontrar uma solução pacífica para a crise da Ucrânia.

O Ocidente e a Rússia vivem atualmente um momento de forte tensão, com o regime de Moscovo a ser acusado de concentrar pelo menos 150.000 soldados nas fronteiras da Ucrânia, numa aparente preparação para uma potencial invasão do país vizinho.

Moscovo desmente qualquer intenção bélica e afirma ter retirado parte do contingente da zona.

Entretanto, nos últimos dias, o exército da Ucrânia e os separatistas pró-russos têm vindo a acusar-se mutuamente de novos bombardeamentos no leste do país, onde a guerra entre estas duas fações se prolonga desde 2014.

Ainda hoje, à margem da Conferência de Munique, está previsto um encontro entre a vice-Presidente norte-americana, Kamala Harris, e o Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky.

FPA // MSF

Lusa/fim

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.