"Odiava a minha vida de empresa e adorava a minha vida no bar", foi assim que Devin Shomaker explicou, em entrevista ao Wall Street Journal, como descobriu a vocação que lhe mudou todos os planos. Nos anos a seguir à faculdade, ajudou o irmão a montar um negócio na China e, quando regressou aos Estados Unidos, em 2010, passou por várias empresas em funções ligadas às vendas e ao marketing. Não gostou especialmente dessas experiências, até que foi trabalhar para um bar de vinho e se interessou pelo negócio.

E foi assim que em 2012 decidiu frequentar um programa de formação em viticultura e tecnologias ligadas à produção de vinho e, em 2014, lançou o seu projecto na plataforma de crowfunding Kickstarter, onde angariou os primeiros dezesseis mil dólares para o arranque do negócio. Um negócio sui generis que passa por plantar videiras no topo de telhados em Nova Iorque, uma ideia que lhe permitiu juntar o útil ao agradável: a vontade de se tornar um produtor de vinho e o prazer de usufruir da vida na cidade.

Antes disso, em parceria com dois sócios, o irmão, Thomas Shomaker, e um ex-colega, Chris Papalia, começou por testar a sua ideia de plantar vinha nos telhados de Nova Iorque. A primeira experiência foi no terraço do irmão, em Brooklyn, em Maio de 2013, com vinha da casta Bordeaux. Correu bem e hoje os três sócios são fundadores de uma startup agrícola que se propõe produzir vinho literalmente urbano, oriundo de vinhas plantadas na cobertura de edificios. Se tudo correr bem, poderão apanhar as primeiras uvas em 2017.

A vinha da “Rooftop Reds”, nome da empresa, faz justiça à tecnologia para conseguir obter resultados. As videiras estão plantadas em vasos com menos de um metro de profundidade num solo preparado especialmente para o efeito, com vidro reciclado em pó, entre outros componentes, para ter uma boa drenagem, e com sistemas de rega automáticos.

O local escolhido é uma frente portuária em Brooklyn, gerido por uma organização sem fins lucrativos, a Brooklyn Navy Yard Development Corp que disponibiliza espaços a novas empresas e negócios. A Rooftop Reds conta com 1300 metros quadrados de área de telhados e também com um vento e uma brisa marítima com a qual as uvas, ao que tudo indica, se dão bem.

A produção dará cerca 300 garrafas de vinho provenientes dos 50 telhados que constituem a “quinta”. Esta equipa de agricultores de telhado seguiu os passos de outra empresa que comercializa ervas aromáticas, vegetais e mel, também produzidos nos telhados da cidade da maçã.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.