As diligências do Ministério Público (MP) e da Unidade Nacional de Combate à Corrupção da Polícia Judiciária (PJ), que decorreram na segunda-feira, foram divulgadas na página de Internet do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Évora.

Segundo o MP, foram apreendidos “elementos de prova” nas instalações da Universidade de Évora (UÉ), no âmbito de dois inquéritos pendentes no DIAP de Évora, cuja investigação prossegue em conjunto com aquela unidade da PJ.

Em causa, de acordo com várias denúncias apresentadas, estão factos relacionados com procedimentos concursais, uso abusivo de meios e contratação de serviços, que terão ocorrido entre 2009 e 2017, refere o comunicado.

“A comprovarem-se, serão suscetíveis de integrarem os crimes de corrupção, peculato, peculato de uso, abuso de poder, tráfico de influências e participação económica em negócio”, indica o MP, acrescentando que “não existem arguidos constituídos”.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.