"Eu tenho confiança que estes dados que agora foram conhecidos e que acredito que tenham continuidade no próximo trimestre - todos os dados que estamos a recolher apontam nesse sentido - possam vir não apenas a confirmar como eventualmente a superar a estimativa que tínhamos para o crescimento este ano", declarou Vieira da Silva aos jornalistas, à margem de uma cerimónia no Palácio de Belém.

O ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social saudou "o facto de estes dados do crescimento económico consolidarem a evolução positiva dos dados do emprego", acrescentando: "Se não houvesse outra razão, essa bastaria, porque o emprego continua a ser o nosso principal objetivo".

O ministro referia-se aos dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) hoje divulgados, segundo os quais no terceiro trimestre a economia portuguesa cresceu 0,8% em cadeia e 1,6% em termos homólogos.

No relatório do Orçamento do Estado para 2017 apresentado a 14 de outubro, o Governo reviu em baixa a sua previsão de crescimento para o conjunto deste ano, de 1,8% para 1,2%.

Segundo Vieira da Silva, os dados hoje divulgados pelo INE esclarecem "algumas dúvidas que poderiam existir de observadores, analistas e muitas instituições" e são "um sinal forte de esperança e de confiança na economia portuguesa" e "um bom sinal para o ano de 2017".

"O crescimento que Portugal teve neste trimestre é um dos mais elevados, se não o mais elevado da União Europeia. Coloca-nos muito provavelmente acima da última estimativa do Governo e claramente acima das estimativas das organizações internacionais. Ora, isso tem um papel absolutamente decisivo para o nosso futuro de curto prazo e para o futuro de médio longo prazo", afirmou.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.