Em nota de imprensa enviada à agência lusa, este município do distrito de Castelo Branco esclarece que a primeira remessa será composta por 26 toneladas de batata produzida na Cova da Beira e que será encaminhada na quinta-feira para Oliveira do Hospital.

Segundo o referido, esta oferta terá como destinatário a Associação de Apoio às Vítimas dos Incêndios de Midões, onde arderam mais de 50 casas.

“A primeira remessa de alimentos contará com o apoio de empresários e da autarquia da Covilhã”, é referido na informação, que também especifica que a recolha de alimentos se manterá até dia 03 de novembro.

Citado na nota de imprensa, o presidente da Câmara da Covilhã, Vítor Pereira, sublinha que “este é um gesto de solidariedade entre vizinhos, mas é também uma forma de arregaçar as mangas e assumir a recuperação destes municípios como uma responsabilidade de todos os portugueses”.

Vítor Pereira lembra que o concelho da Covilhã “também foi fortemente fustigado pelas chamas, mas felizmente sem vítimas e sem grandes prejuízos na área habitacional e industrial”.

As centenas de incêndios que deflagraram no dia 15, o pior dia de fogos do ano, segundo as autoridades, provocaram 45 mortos e cerca de 70 feridos, perto de uma dezena dos quais graves.

Os fogos obrigaram a evacuar localidades, a realojar as populações e a cortar o trânsito em dezenas de estradas, sobretudo nas regiões Norte e Centro.

Esta é a segunda situação mais grave de incêndios com mortos em Portugal, depois de Pedrógão Grande, em junho deste ano, em que um fogo alastrou a outros municípios e provocou, segundo a contabilização oficial, 64 vítimas mortais e mais de 250 feridos. Registou-se ainda a morte de uma mulher que foi atropelada quando fugia deste fogo.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.