O MAI adianta que 79% das vítimas que apresentaram queixa às forças de segurança no ano passado eram mulheres e 83,5% dos alegados agressores eram homens.

De acordo com o MAI, a Polícia de Segurança Pública (PSP) e da Guarda Nacional Republicana (GNR) detiveram 803 suspeitos em 2018, correspondendo a mais de 100 detenções (mais 14%) em relação ao ano anterior.

Na nota enviada à agência Lusa, o ministério tutelado por Eduardo Cabrita indica que, no final de 2018, cerca de 63% dos postos da GNR e esquadras da PSP de competência territorial possuía uma sala de atendimento à vítima (SAV), enquanto nos restantes o atendimento realiza-se geralmente numa outra sala que “reúna as condições necessárias para o efeito”.

O MAI indica ainda que todas as novas infraestruturas da PSP e da GNR a construir de raiz ou a serem recuperadas “dispõem ou vão dispor de SAV”.

Portugal assinala hoje, pela primeira vez, um dia de luto nacional pelas vítimas de violência doméstica.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.