Em declarações após o anúncio hoje feito pela ministra da Administração Interna, Francisca Van Dunem, de que os eleitores que se encontrem em isolamento, devido à covid-19, poderão ir votar no dia 30 de janeiro, a autarca afastou problemas em relação ao voto antecipado agendado para o próximo domingo.

“O voto em mobilidade do próximo domingo (…) não nos está a trazer nenhuma preocupação especial”, assegurou a líder daquela associação, que deu como exemplo o que está a preparar enquanto presidente da Câmara de Matosinhos.

Assim, para o dia 23, relatou Luísa Salgueiro, vão ser abertas mesas de voto em “duas escolas em duas zonas diferentes” de Matosinhos, sendo que, ao nível da inscrição, ainda não atingiram “os cinco mil inscritos”.

Por isso, considera que a situação está “muito dentro do controlo” pois “há mais mesas previstas” e um desdobramento “para evitar o que aconteceu nas presidenciais, que foram longas filas no dia do voto em mobilidade”.

“A Secretaria-Geral do MAI [Ministério da Administração Interna] reuniu connosco e teve a preocupação de desdobrar o número de mesas exatamente para evitar que essa concentração de pessoas não venha a acontecer, mas só vamos poder saber melhor quando conhecermos os cadernos com o número de pessoas que vão exercer o seu direito de voto no domingo”, disse.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.