O presidente da Ucrânia falou por videochamada no Congresso dos EUA.

"Algo que não pensámos nem por um segundo foi em baixar os braços", frisou Zelensky após referir que o país tem vindo a ser bombardeado "todos os dias" pelos russos.

"A Rússia atacou-nos de uma forma brutal. Não só o nosso país, mas também os nossos valores humanos", apontou.

O presidente da Ucrânia diz que seu país está grato pelo apoio dos EUA na guerra até agora, mas pede ao Congresso que faça mais e emita mais sanções "até que a máquina militar russa pare".

Zelensky sugere sancionar todos os políticos da Federação Russa. "Todas as empresas americanas devem deixar o mercado russo imediatamente, porque está inundado com nosso sangue", acrescenta, pedindo aos legisladores que pressionem as empresas que permanecem no país.

Volodymyr Zelensky recordou ainda as tragédias passadas que atingiram os norte-americanos, como o ataque em Pearl Harbor e o 11 de Setembro, pedindo ajuda para impedir os ataques aéreos da Rússia.

"Precisamos de vocês agora", apelou.

A Rússia lançou a 24 de fevereiro uma ofensiva militar na Ucrânia que já causou pelo menos 691 mortos e mais de 1.140 feridos, incluindo algumas dezenas de crianças, e provocou a fuga de cerca de 4,8 milhões de pessoas, entre as quais três milhões para os países vizinhos, segundo os mais recentes dados da ONU.

A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas a Moscovo.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.