Na semana passada olhámos para os 10 momentos que marcaram a Premier League até à sua suspensão, hoje olhamos para os fatores que influenciam o regresso da liga de futebol mais vista do mundo. Dos testes efetuados às novas novas regras, passando pelo risco acrescido de lesões e pelas lutas que ainda estão por decidir, num campeonato que está destinado a ver o Liverpool campeão, 30 anos depois do último festejo.

As substituições

Comecemos pelo que existirá de novo: o número de substituições possíveis. Antecipando problemas físicos com alguns jogadores, devido à prolongada paragem, restrições de treino e, principalmente, curto período de preparação para o regresso à competição ao mais alto nível, os clubes concordaram em aumentar o número de substituições para cinco, sendo que um jogo só pode ter três paragens para a troca de atletas, como já acontecia anteriormente.

Já sobre a possibilidade de se fazerem entrevistas rápidas a jogadores e treinadores no intervalo dos jogos, ter câmaras dentro dos balneários e microfones junto às áreas técnicas não houve acordo. A revolução na forma como os telespetadores têm acesso ao jogo de futebol ficará para outro momento.

Rondas de testes

A Premier League tem sido rigorosa no rastreio da Covid-19, tendo feito, desde maio, duas rondas de testes semanais. Na última delas — Ronda 8, de 11 e 12 de junho —, 1200 indivíduos foram testados. De entre os quais, dois, de dois clubes diferentes, testaram positivo. Até à data, apenas o Norwich veio a público comunicar que um dos seus jogadores está entre os infetados.

Até ver, nenhum clube foi afetado com um número elevado de casos, o que por si só é um excelente sinal de que o regresso da Premier League poderá ser efetivo, pelo menos até ao término da edição 2019-20.

Números das rondas de testes

Ronda 1 (17 e 18 de maio)
748 indivíduos testados - 6 casos positivos de 3 clubes diferentes

Ronda 2 (19 a 22 de maio)
996 indivíduos testados - 2 casos positivos de 2 clubes diferentes

Ronda 3 (25 e 26 de maio)
1008 indivíduos testados - 4 casos positivos de 2 clubes diferentes

Ronda 4 (28 e 29 de maio)
1130 indivíduos testados - 0 casos positivos

Ronda 5 (1 e 2 de junho)
1197 indivíduos testados - 1 casos positivos

Ronda 6 (4 e 5 de junho)
1195 indivíduos testados - 0 casos positivos

Ronda 7 (8 e 9 de junho)
1213 indivíduos testados - 0 casos positivos

O fator casa

De entre todos os fatores, aquele que pode vir afetar mais a tabela classificativa será o fator casa. Como já tivemos oportunidade de falar ao longo deste hiato, a Bundesliga (campeonato de futebol alemão) tem vindo a servir de exemplo quanto ao risco de lesões e às diferenças, principalmente para as equipas em teoria mais pequenas, ao jogarem em casa.

Devido à ausência de espetadores nos estádios, parte da vantagem que os clubes mais pequenos pudessem ter por jogar junto dos seus adeptos, segundo a Bundesliga, parece ter perdido algum significado. Com a luta pelos lugares cimeiros a depender bastante dos jogos fora, uma vez que mais clubes de topo venceram os seus jogos fora de portas, não deixando margem para perdas de pontos. Assim sendo, a previsível luta entre Chelsea e Manchester United pelo quarto lugar poderá ser um dos maiores atrativos do que resta da liga.

Com exibições, ao nível dos resultados, muito semelhantes nas últimas cinco jornadas, sendo que o United amealhou 11 pontos e o Chelsea 8, a forma como ambas as equipas irão enfrentar os primeiros jogos poderá começar a delinear quem irá ocupar o quarto e o último lugar de acesso à Liga dos Campeões. Com apenas três pontos a separar os rivais, o primeiro embate dos Red Devils, frente ao Tottenham orientado pelo seu antigo treinador, José Mourinho, irá ser de importância extrema.

Risco de lesões

A falta de acesso a métodos de recuperação, o volume de jogos nas próximas semanas e o stress causado por toda uma situação nova são motivos para que Brendan Schwab, diretor executivo da World Players’ Association (WPA), a Associação Mundial de Jogadores, que representa atletas por todo o mundo, da NBA a jogadores de futebol na Europa, venha reiterar o que foi dito acima.

Schwab aponta um estudo realizado por Joel Mason que sugere o aumento de lesões na Bundesliga desde o seu regresso, a 16 de maio. De acordo com o mesmo, analisando o período dos 90 minutos, a taxa de lesões por jogo passou de 0.27, durante a temporada até à paragem do campeonato, para 0.88, após o recomeço do campeonato alemão. Um número que terá de ser levado a sério e que poderá ter impacto não só nos resultados das equipas mas, mais importante que isso, na carreira dos jogadores em causa.

Classificação

Nota: Os quatro primeiros lugares dão acesso à Liga dos Campeões, os clubes que ocuparem os três últimos lugares no final da temporada são despromovidos.

Esta semana na Premier League

Jogos 30ª Jornada

Quarta-feira, 17 de junho
Aston Villa vs Sheffield United - 18h00
Man City vs Arsenal - 20h15

Sexta-feira, 19 de junho
Norwich vs Southampton - 18h
Tottenham vs Manchester United - 20h15

Sábado, 20 de junho
Watford vs Leicester - 12h30
Brighton vs Arsenal - 15h00
West Ham vs Wolves - 17h30
Bournemouth vs Crystal Palace - 19h45

Domingo, 21 de junho
Newcastle vs Sheffield United - 14h00
Aston Villa vs Chelsea - 16h15
Everton vs Liverpool - 19h00

Segunda-feira, 22 de junho
Manchester City vs Burnley - 20h00

Jogos 31ª Jornada

Terça-feira, 23 de junho
Leicester vs Brighton - 18h00
Tottenham vs West Ham - 20h15

Quarta-feira, 24 de junho
Manchester United vs Sheffield United 18h00
Newcastle vs Aston Villa - 18h00
Wolves vs Bournemouth - 20h15
Norwich vs Everton - 18h00
Liverpool vs Crystal Palace - 20h15

Quinta-feira, 25 de junho 
Burnley vs Watford - 18h
Southampton vs Arsenal - 18h
Chelsea vs Manchester City - 20h15

Como já tínhamos identificado acima, o jogo desta dupla jornada poderá ser a visita dos Red Devils aos Spurs de José Mourinho e a sua influência na corrida pelos lugares de acesso à Liga dos Campeões. A juntar à emoção, após visitar o Aston Villa no dia 21, o Chelsea recebe o Manchester City a fechar a dupla jornada, no dia 25. Um recomeço de sonho, com 6 pontos em disputa que poderão revolucionar a tabela e relançar vários clubes numa luta pelo acesso ao mais apetecível futebol europeu.

Ainda assim, não podemos deixar de prestar atenção aos lugares de despromoção. Uma vez que estes sim terão um impacto nas finanças de clubes naturalmente mais vulneráveis, principalmente na futura e previsível situação económica.

Sem jogos entre os últimos seis classificados, na dupla jornada que se segue, todos eles jogarão com clubes mais acima da tabela. É impossível prever quem entrará melhor na parte final da temporada, mas um bom arranque após tempos tão conturbados poderá ser meio caminho andado para a salvação. Uma coisa é certa, todos os seis clubes parecem ter chances de entrar ou sair da zona de despromoção, sendo o Norwich, o único que poderá estar já com um pé na Championship.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.