Numa carta enviada ao presidente da UEFA, Aleksander Ceferin, a ministra do Interior, Nancy Faeser, pediu também à UEFA o afastamento de russos e bielorrussos que ocupem cargos no organismo que gere o futebol europeu.

Na sequência da invasão militar da Rússia à Ucrânia, em 24 de fevereiro, a UEFA anunciou a exclusão dos clubes russos e das seleções nas competições por si organizadas.

A ministra alemã entende que “a Bielorrússia, como grande apoiante da Rússia, também está a violar o direito internacional e deve ser excluída de todas as competições”, e acrescenta: “O mundo do desporto deve aproveitar o momento para adotar uma posição conjunta na luta contra o desrespeito pelos direitos humanos”.

O sorteio da fase de apuramento para a competição, que decorrerá em 10 estádios alemães, está marcado para 09 de outubro, em Frankfurt.

A ofensiva militar lançada a 24 de fevereiro pela Rússia na Ucrânia causou já, segundo a ONU, quase 6.000 mortos civis e mais de 8.000 feridos.

As Nações Unidas alertam, no entanto, para a probabilidade de o número real ser muito maior, já que, por enquanto, não é possível conhecer todas as vítimas nas cidades da Ucrânia.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.